Desmistificando o tratamento com Implantes Dentários


- Como funcionam?


- De que são feitos?


- Qual o melhor tipo de implante pra você?


- Quais os riscos?


- Porque dão errado?


- Quais as vantagens de se fazer um implante?


Aqui você pode tirar suas dúvidas sobre como é feito o tratamento com implantes.


1. Para que serve o implante dentário? O implante dentário é utilizado para repor os dentes perdidos. 2. O que são os implantes dentários? Os implantes dentários são estruturas metálicas feitas de titânio torneadas externamente como um parafuso, que são inseridas dentro do osso, com a finalidade de suportar diferentes tipos de próteses dentárias. No caso das reposições dentárias com próteses unitárias ou fixas, eles fazem o papel das raízes dos dentes (fig. 1).

3. De que material é feito o implante? Em praticamente sua totalidade, os implantes são fabricados em titânio, um material biocompatível amplamente utilizado na fabricação de biomateriais. São raras as marcas que fabricam implantes que não sejam de titânio.


4. Existe o risco de rejeição?


Sim. O risco está presente. No entanto, como já foi dito, o implante é um material biocompatível e, a menos que você tenha alergia ao titânio, você não apresentará tal complicação. A perda de implantes dentários, de acordo com a literatura científica, chega a 5% e está, geralmente, associada a infecções, qualidade óssea ou imperícia do cirurgião-dentista. 5. Quando é a melhor hora para fazer os implantes? Após a perda do dente, quanto mais rápido este for reposto melhor. A menos que haja alguma contra indicação específica, a reabilitação oclusal deve ser realizada o mais rápido possível para evitar complicações futuras na instalação do implante.


6. Existe cirurgia de implantes sem cortes?

Não. Este é um mito que foi criado juntamente com outro mito amplamente espalhado aqui no brasil, A cirurgia guiada por computador. Essas duas Técnicas andam juntas, mas não são exatamente o que descrevem. As ditas cirurgias “guiadas por Computador” nada mais são que cirurgias planejadas em programas de computador baseados em tomografias tridimensionais que, após o planejamento, geram um arquivo para a confecção de um “guia cirúrgico de acrílico” em uma impressora 3d. Esse guia cirúrgico de acrílico que guia o cirurgião durante a cirurgia dita “sem cortes”. a cirurgia dita “sem cortes”, trata-se de uma técnica menos invasiva de instalação dos implantes, sem a utilização do bisturi convencional (com Lâmina fria) para a confecção das incisões, onde o implante é inserido no osso através de uma perfuração realizada na gengiva com o uso de “brocas”. Nesse caso, não é necessário suturas. Os cicatrizadores ou os componentes protéticos se encarregam de obliterar o orifício por onde o implante foi inserido. 7. Existe idade para fazer implantes?

Existe uma idade mínima. Recomenda-se que o paciente tenha seu processo de crescimento Interrompido (aproximadamente 17 anos) para que comece o tratamento com implantes pois a posição dos ossos e consequentemente das arcadas dentárias e dos dentes nelas contidos irão mudar deposição durante esse processo, coisa que não acontece com o implante. No entanto, não existe idade máxima para se realizar o tratamento com implantes. O que pode limitar a realização do tratamento em qualquer idade do paciente é sua condição sistêmica.

8. Quanto tempo demora o tratamento com implantes?


Existem vários tipos de implantes, fabricados por várias empresas... Hoje em Dia, temos no mercado, implantes que osseointegram (cicatrizam) em um tempo que se estende de 3 à 12 semanas. Após a osseointegração, se inicia a fase protética, que pode se estender de duas à seis semanas dependendo da prótese. Entre uma etapa e outra, pode existir a necessidade de realizar uma pequena cirurgia para expor o implante (instalação do cicatrizador). Essa etapa leva duas semanas. Se formos fazer uma média, um tratamento com implantes levaria de 45 dias a cinco meses, fora o tempo gasto para realizar os exames complementares (rx, tomografias, moldagens diagnósticas...), sem interrupções, imprevistos, faltas e sem necessidade de quaisquer tratamentos complementares como enxertos ósseos e gengivais. Existem técnicas que prometem a instalação do dente e da prótese em “uma hora” e, de fato, isso é possível. No entanto, algumas etapas não podem simplesmente ser cortadas. Se elas não são realizadas durante ou depois da instalação do implante, é porque são realizadas antes. Nessa técnica (implante em 1 hora) o paciente é moldado e realiza-se todos os exames antes da cirurgia para que ao chegar no dia da cirurgia tudo esteja pronto. 9. Quanto custa um implante? O valor do tratamento está agregado à alguns fatores como: rapidez do tratamento (carga imediata, implante em 1 hora, carga precoce...), técnica utilizada (com ou sem guia cirúrgico, com guia cirúrgico computadorizado ou não, com ou sem enxerto...), marca do implante (nacional ou importado), tempo de osseointegração (duas a seis semanas), tipo de conecção protética (cone morse ou hexágono externo), tempo estimado pelo paciente (o paciente tem urgência para terminar o tratamento? Vai viajar? Está disposto a pagar mais caro para o protético ficar a sua disposição?)... Se o paciente for realizar um implante pela técnica convencional, inicialmente preconizada por Branemark e respeitando todas as etapas, um implante unitário pode custar mais barato que confeccionar uma prótese fixa de três elementos ou uma prótese parcial removível bem feita, sem as desvantagens que estas outras próteses apresentam. 10. Qualquer um pode fazer a reabilitação oclusal com implantes? Para receber um implante, é preciso que você tenha gengivas saudáveis e ossos adequados para sustentá-lo. Você também deve comprometer-se a manter estas estruturas saudáveis. Uma higiene bucal meticulosa e visitas regulares ao dentista são essenciais para o sucesso a longo prazo de seus implantes. 11. Quais as vantagens do tratamento com implantes? -Por serem integrados ao osso, os implantes oferecem um suporte estável para os dentes artificiais. Próteses parciais e totais montadas sobre implantes não escorregarão nem mudarão de posição na boca, um grande benefício durante a alimentação e fala. Conferem ao paciente mais segurança em todas as funções bucais proporcionando uma situação mais natural do que pontes ou dentaduras convencionais.


-Para algumas pessoas, as próteses e dentaduras comuns são simplesmente desconfortáveis ou até inviáveis, devido a pontos doloridos ou falta de adaptação a estes aparelhos. Além disso, as pontes comuns devem ser ligadas aos dentes em ambos os lados do espaço deixado pelo dente ausente. Com a colocação de implantes não é necessário preparar ou desgastar um dente natural para apoiar os novos dentes substitutos no lugar como é feito em pontes fixas convencionais.


- Como os componentes são pré-confeccionados, as próteses podem ser confeccionadas com mais rapidez e precisão que as próteses sobre dentes.

12. O que uma prótese tipo protocolo?

É uma prótese total (mas sem a extensão que se prolonga pelo rebordo gengival e que a retém na boca) implanto suportada e Implanto retida, fixada sobre 4 a 8 implantes em média. Este tipo de prótese é parafusada e retirada apenas pelo seu dentista, é uma prótese que confere boa estética e é uma ótima opção para quem pretende fugir da dentadura. Pode ser feita em resina ou porcelana. Tem a vantagem de ser facilmente aplicada a carga imediata. Com técnicas instalar os implantes e a prótese definitiva até mesmo no mesmo dia.


13. O que uma prótese tipo overdenture?

É uma prótese total removível, retida por implantes, este tipo de prótese é mais barata que a prótese protocolo porque exige menos implantes (2 a 6 em média) e é confeccionada em resina. Esta prótese é como uma dentadura, porém, tem um encaixe em uma barra que conecta os implantes à prótese, conferindo a esta mais estabilidade e retenção.

Esta prótese pode ser retirada pelo paciente e por isto a sua higienização é facilitada. É indicada para pacientes que possuam uma deficiência motora que o impeça de higienizar a prótese.

1 visualização0 comentário